Luís Filipe Sarmento

Luís Filipe Sarmento nasceu, em Lisboa, a 12 de Outubro de 1956.

Estudou Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Jornalista, Escritor, Tradutor e Realizador de Televisão.

Alguns dos seus livros e textos encontram-se traduzidos em inglês, espanhol, francês, italiano, grego, árabe, mandarim, japonês, romeno, macedónio, croata, turco e russo.

Produziu e realizou a primeira experiência de Videolivro feita em Portugal no programa Acontece para a RTP (Radiotelevisão Portuguesa).

Coordenador Internacional da Organization Mondial de Poétes (1994-1995)

Membro do International Comite of World Congress of Poets

Presidente da Associação Ibero-Americana de Escritores (1999-2000)

Coordenador para Portugal da World Poetry Movement.

Participou em mais de 100 festivais, congressos e feiras internacionais.

Do Autor:

A Idade do Fogo, 1975; Trilogia da Noite, 1978; Nuvens, 1979; Orquestras & Coreografias, 1987; Galeria de um Sonho Intranquilo, 1988; Fim de Paisagem, 1988; Fragmentos de Uma Conversa de Quarto, 1989; Ex posições, 1989; Boca barroca, 1990; Matinas Laudas Vésperas Completas, 1994; Tinturas Alquímicas, 1995; A Ocultação de Fernando Pessoa, a Desocultação de Pepe Dámaso, ensaio, versão portuguesa e castelhana, Las Palmas, 1997; A Intimidade do Sono, 1998; Crónica da Vida Social dos Ocultistas, narrativa, 2000, 2007, 2015; Gramática das Constelações, 2012; Ser tudo de todas as Maneiras, ensaio e antologia da obra de Fernando Pessoa no Livro/Cd «Mensageiros», Lisboa, 2012; Como Um Mau Filme Americano, narrativa, 2013; 40 Poemas 40 Pinturas (c/Luís Vieira Baptista), 2015; Efeitos de Captura, 2015; Repetição da Diferença seguidode Casa dos Mundos Irrepetíveis, 2016; Gabinete de Curiosidades, 2017, 2018; KNK, 2019; Operação Ulisses, 2019, narrativa; Ao Rubro (reúne toda a sua obra poética de 1975 a 2020), 2020.