Programa Horizonte Europa

Foi lançado em Lisboa no passado dia 17 de junho um manifesto destinado a reforçar a investigação científica na Europa, em áreas como cinema, música, arquitetura, design e património, com os primeiros concursos de financiamento de projetos a serem lançados em finais de junho.

Pela primeira vez, as indústrias criativas e culturais passam a ser consideradas para efeitos de projetos financiados pelo Programa Horizonte Europa 2021-2027 de apoio à investigação inovação. 

Mais informações consulte:

https://www.fct.pt/apoios/cooptrans/horizonteeuropa/index.phtml.pt.

O ‘Manifesto de Lisboa sobre Indústrias Criativas Centradas no Cidadão e Orientadas para a Investigação’ resultou de “uma articulação entre o Parlamento Europeu, Estados-Membros e a Comissão Europeia” para “reforçar a área das indústrias criativas”, segundo o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, que subscreve o documento.

 O titular da pasta da Ciência e Tecnologia mencionou que “os primeiros concursos para investigação em indústrias criativas” abriram em 22 de junho. Em particular, o Instituto Europeu da Inovação e da Tecnologia irá lançar “concursos para projetos nesta área” a partir de outubro.

 Uma cópia do manifesto foi entregue à comissária europeia para a Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, Mariya Gabriel, no final da mesa-redonda ‘Indústrias Criativas para a Europa Centradas no Cidadão e Orientadas para a Investigação’, que decorreu no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia.

O documento tem como primeiros subscritores, além do ministro Manuel Heitor, a presidente da Ciência Viva, Rosália Vargas, e o eurodeputado alemão Christian Ehler, relator do programa específico de execução do Horizonte Europa, orçado em 95,5 mil milhões de euros.